Limpando os corações

[Por: John Bunyan]

INTÉRPRETE – (…) Depois pegou-lhe na mão e conduziu-o a uma sala cheia de poeira, porque nunca fora varrida, e, tendo ordenado a um dos criados que a varresse, levantou-se tal nuvem de poeira que Cristão ia ficando sufocado. Disse Intérprete então a uma jovem, que os acompanhava, que borrifasse a casa com água, e assim pôde varrer-se a casa sem dificuldade.

CRISTÃO – Que significa isto?

INTÉRPRETE – A sala representa um coração que nunca foi santificado pela doce graça do Evangelho; a poeira é o pecado original e a corrupção interior, que contamina todos os homens; o que principiou a varrer é a lei, e a jovem que trouxe a água e borrifou a sala é o Evangelho. Certamente notaste, quando o primeiro começou a varrer, que se levantou tanto pó que foi absolutamente impossível continuar, e estiveste quase a ser asfixiado: isto significa que a lei, em lugar de limpar os corações do pecado, fá-lo reviver cada vez mais (Romanos 7:9), dá-lhe força (1 Coríntios 15:16), e fá-lo medrar na alma (Romanos 5:20), ao mesmo tempo que o denuncia e o prescreve, sem dar a força necessária para o vencer. O fato de ter sido possível varrê-lo e limpá-lo depois de o ter a jovem regado, significa que, quando o Evangelho entra no coração, vence e subjuga o pecado com a sua doce e preciosa influência. Limpa a alma que nele crê e torna-a digna de ser habitada pelo Rei da Glória (João 15:3Romanos 3:25-26Efésios 5:26Atos 15:29).”

John Bunyan – The Pilgrim’s Progress – (O Peregrino – Editora Martin Claret) – p.56-57