Sondando o pecado

[Por: J. C. Ryle]

“…No tocante à extensão dessa vasta enfermidade moral do homem, chamada pecado, cuidemos para não errar. A única base segura é aquela dada pelas Escrituras. “Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração”; “enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e desesperadamente corrupto” (Gênesis 6.5Jeremias 17.9). O pecado é um mal que permeia e percorre todas as partes de nossa constituição moral, bem como, cada faculdade de nossa mente. A compreensão, os afetos, o poder de raciocínio, a vontade; tudo está, em certa medida, infeccionado pelo pecado. A própria consciência está tão cega que dela não se pode depender como guia seguro. Ela tanto pode conduzir o homem para o erro quanto para o que é certo, a menos que seja iluminada pelo espírito Santo. Em suma, “desde a planta do pé até à cabeça não há nele cousa sã, senão feridas, contusões e chagas inflamadas” (Isaías 1.6). O mal pode ser velado sob uma fina cortina de cortesia, polidez, boas maneiras ou decoro exterior; mas jaz profundamente em nossa constituição.”…

J. C. Ryle – Santidade – Sem a Qual Ninguém Verá o Senhor, Editora Fiel – p.30