Sobre o uso de instrumentos no culto

[Por: João Calvino]

Louvai ao Senhor com harpa, cantai a ele com o saltério e um instrumento de dez cordas.” [Salmos 33:2]

“…Porque mesmo agora, se os crentes decidissem recrear-se com instrumentos musicais, creio que não devem nutrir o objetivo de dissociar sua jovialidade dos louvores de Deus. Mas quando frequentam suas assembleias sacras, os instrumentos musicais para a celebração dos louvores divinos não devem ser mais oportunos do que a queima de incenso, o acender das lâmpadas e a restauração das outras sombras da lei. Os papistas, pois, insensatamente tomaram isto por empréstimo, bem como muitas outras coisas, dos judeus. Os homens que são amantes da pompa externa podem deleitar-se com esse ruído: mas a simplicidade que Deus nos recomenda, através do apóstolo, lhe é multo mais deleitável. Paulo só nos permite bendizer a Deus na assembléia pública dos santos numa língua conhecida [1 Co 14:15]…..”
___________________________________________________________________
João Calvino, Comentários dos Salmos. Volume II. Editora Fiel, p. 51

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Também eu te louvarei com o saltério, bem como à tua verdade, ó meu Deus; cantarei com harpa a ti, ó Santo de Israel.” [Salmos 71:22]

“Uma vez mais ele se prorrompe em ações de graças: pois estava cônscio de que o desígnio divino, ao socorrer liberalmente a seus servos, era para que sua bondade fosse celebrada. Ao pretender empregar o saltério e a harpa em tal exercício, sua alusão é ao costume geralmente prevalecente de seu tempo. Cantar os louvores de Deus ao som da harpa e do saltério inquestionavelmente formava uma parte do aprendizado da lei e do serviço de Deus sob aquela dispensação de sombras e figuras: mas não devem agora ser usadas nas ações de graças públicas. Nós, aliás, não somos proibidos de usar, em particular, instrumentos musicais, mas eles são banidos das igrejas pelo claro mandamento do Espírito Santo, quando Paulo, em 1 Coríntios 14:13, estabelece como regra invariável que devemos louvar a Deus e orar a ele tão-somente em língua conhecida.”
___________________________________________________________________
João Calvino, Comentários dos Salmos. Volume III. Editora Fiel, p. 62

>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>>

Tomai um salmo, e trazei junto o tamborim, a harpa suave e o saltério.” [Salmos 81:2]

Com respeito ao tamborim, harpa e saltério. Já observamos anteriormente, e julgamos necessário simplesmente repetir a mesma observação, a saber: que os levitas, sob a lei, eram justificados ao fazer uso de música instrumental no culto divino: que seu intuito era treinar seu povo, enquanto eram ainda imaturos e semelhantes a crianças. necessitando de tais rudimentos, até a vinda de Cristo. Mas então. quando a lídima luz do Evangelho já dissipou as sombras da lei, e já nos ensinou que Deus deve ser servido numa forma mais simples, estaremos agindo como tolos e equivocados imitando aquilo que o profeta ordenou somente aos de seu próprio tempo. Disto se faz evidente que os papistas têm demonstrado atitude simiesca. transferindo isto para si mesmos.”
___________________________________________________________________
João CalvinoComentários dos Salmos. Volume III. Editora Fiel, p. 283

Fonte: Biblioteca João Calvino