Mulheres cubram suas cabeças!

[Por: João Calvino]

“São Paulo então continua com o assunto que ele antes iniciou: o qual é, que a mulher deve ter a decência de não vir a reunião pública da Igreja com a cabeça descoberta; e que o homem também deve estar decentemente vestido, de forma que não haja uma bestial confusão. Para confirmar isto, contudo, ele adiciona uma razão a mais. ‘Não ensina a natureza que se uma mulher não cobre a cabeça, isto é uma vergonha para ela?’, ele diz. Alguém poderia certamente dizer que uma mulher está louca, se ela rapasse o cabelo para vir. Quando ele diz ‘seu cabelo é uma cobertura’, ele não intenta que enquanto uma mulher tiver cabelo, isto é o suficiente para ela. Antes ele ensina que o nosso Senhor está dando uma orientação que ele deseja que seja observada e mantida. Se uma mulher tem cabelo cumprido, isto deve ser entendido como se dizendo para ela, ‘Cubra a sua cabeça, use um chapéu, use um capuz; não se exponha desta forma! O seu cabelo, mesmo quando você está sem chapéu ou capuz, é algo que te cobre. Veja, seria inadequado não ter cabelo algum; seria mesmo contra a natureza. De forma semelhante, estar sem o capuz é inadequado na assembléia.’ É desta forma que esta passagem de São Paulo deve ser entendida.”

João Calvino – Sermon on 1 Cor 11:11-16, op. cit. pp. 52-53

Fonte: http://calvinismoexperimental.blogspot.com.br/2011/06/mulheres-cubram-suas-cabecas-joao.html