Um Entendimento Vital

[Por: Martyn Lloyd-Jones]

E vos vivificou, estando vós mortos em ofensas e pecados,
Em que noutro tempo andastes segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe das potestades do ar, do espírito que agora opera nos filhos da desobediência;
Entre os quais todos nós também antes andávamos nos desejos da nossa carne, fazendo a vontade da carne e dos pensamentos; e éramos por natureza filhos da ira, como os outros também.
” (Efésios 2:1-3)

“…Como é vital que compreendamos isto ! Vital não somente do ponto de vista do entendimento do Evangelho, mas certamente, num sentido muito prático, absolutamente essencial para o entendimento dos tempos nos quais vivemos, internacionalmente e também num sentido nacional. Nada é tão fátuo como a ideia de que a doutrina cristã é afastada da vida. Não existe nada mais prático, e o mundo está hoje em suas atuais condições de desordem porque os homens não querem reconhecer a veracidade daquilo que a Bíblia ensina sobre o homem. Observem a situação industrial, e mesmo a financeira. Qual é o problema? Bem, o que nos dizem é que a produção não é tão alta como deveria ser. Por que não é? Essa é a questão. Por que não estamos produzindo mais? E a resposta é, obviamente, que não estamos produzindo mais porque o homem se encontra num estado de pecado. Vocês notam que digo “o homem”, não “os homens”. Digo “o homem” para incluir todos os homens. Não estamos produzindo quanto deveríamos produzir porque os empregadores e os empregados estão ampliando cada vez mais a sua ideia quanto à extensão do fim de semana. Isto aplica-se a todos. Se um homem tem direito de alargar o seu fim de semana, o outro tem igual direito. E todos, porque se acham em pecado e egoísmo, como vou mostrar-lhes, estão agindo assim. Daí o nosso maior problema no momento. “Donde vêm as guerras e pelejas entre vós?”, pergunta Tiago, e responde a sua própria pergunta. Elas vêm “dos vossos deleites que nos vossos membros guerreiam” (4:1). E a tragédia é que o mundo e os seus líderes e os seus estadistas, porque não reconhecem o ensino das Escrituras, acham que podem explicar isso noutros termos. Os diversos grupos se culpam uns aos outros, e os diversos países se culpam uns aos outros, não percebendo que todos eles estão juntos no pecado; e enquanto estiverem em pecado e forem egocêntricos e egoístas, só terão em conta a si mesmos, e o mundo continuará com seus problemas. Assim vocês vêem que esta doutrina bíblica do pecado é a coisa mais prática do mundo; e, não obstante, as pessoas a deixam de lado com desdém, e é pena, porém nisto se incluem até mesmos os cristãos. Quão distante do ensino bíblico está a comuníssima ideia de que o cristianismo é simplesmente uma coleção de numerosas máximas de moral, e que deve ir à igreja aos domingos apenas para receber algum encorajamento, para que lhe digam qual é o seu dever e que você é bom se o pratica, e nada mais. Isso nem é o começo do estudo do verdadeiro problema. Antes de podermos ter a mínima possibilidade de compreender a verdadeira natureza do problema, temos de entender o que é o homem no estado de pecado. Só então veremos claramente que nada, senão a renovação espiritual e a ação do Espírito Santo, têm possibilidade de lidar com a situação e de nos livrar em todos os aspectos.”…
___________________________________________________________________
Martyn Lloyd-Jones – “Reconciliação: Método de Deus” – Exposição sobre Efésios 2 – Editora PES
Fonte – Monergismo