Do arrependimento para a vida

I. O arrependimento para a vida é uma graça evangélica (Zc 12:10; At 11:18) cuja doutrina deve ser tão pregada por todo o ministro do Evangelho como a da fé em Cristo (Lc 24:47; Mc 1:15; At 20:21).

II. Pelo arrependimento, o pecador, movido pelo reconhecimento e pelo senso, não somente do perigo, mas da imundícia e odiosidade dos seus pecados, como contrários a santa natureza e a justa lei de Deus, e pela apreensão de Suas misericórdias em Cristo aos que são penitentes, se entristece e odeia seus pecados, e deixando todos eles, se volta para Deus (Ez 18:30,31; Ez 36:31; Is 30:22; Sl 51:4; Jr 31:18,19; Jl 2:12,13; Am 5:15; Sl 119:128; 2Co 7:11), tencionando e se esforçando para andar com Ele em todos os caminhos dos seus mandamentos (Sl 119:6,59,106; Lc 1:6; 2Rs 23:25).

III. Ainda que não devamos confiar no arrependimento como sendo de algum modo uma satisfação pelo pecado ou em qualquer sentido a causa do perdão dele (Ez 36:31,32; Ez 16:61-63), o que é ato da livre graça de Deus em Cristo (Os 14:2,4; Rm 3:24; Ef 1:7), contudo, ele é de tal modo necessário aos pecadores, que, sem ele, ninguém poderá esperar o perdão (Lc 13:3,5; At 17:30,31).

IV. Como não há pecado tão pequeno que não mereça a condenação (Rm 6:23; Rm 5:12; Mt 12:36), assim também não há pecado tão grande que possa trazer a condenação sobre os que se arrependem verdadeiramente (Is 55:7; Rm 8:1; Is 1:16,18).

V. Os homens não devem se contentar com um arrependimento geral, mas é dever de todo homem esforçar-se para arrepender-se particularmente de cada um dos seus pecados (Sl 19:13; Lc 19:8; 1Tm 1:13,15).

VI. Como todo o homem é obrigado a fazer a Deus confissão particular de seus pecados, pedindolhe o perdão delas (Sl 51:4,5,7,9,14; Sl 32:5,6), pela qual, deixando-os, achará misericórdia (Pv 28:13; 1Jo 1:9); assim também aquele que escandaliza a seu irmão ou a Igreja de Cristo, deve estar pronto, por uma confissão particular ou pública do seu pecado e do pesar que por ele sente, a declarar o seu arrependimento aos que estão ofendidos (Tg 5:16 Lc 17:3,4 Js 7:19; Sl cap. 51); isto feito, estes devem reconciliar-se com ele e recebê-lo em amor (2Co 2:8).
___________________________________________________________________
CONFISSÃO DE FÉ DE WESTMINSTER 1647 – CAPÍTULO XV – DO ARREPENDIMENTO PARA A VIDA