Cristo morreu por Sua igreja

[Por: Robert Murray M’Cheyne]

Isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhes imputando os seus pecados; e pôs em nós a palavra da reconciliação.” [2 Coríntios 5:19]

“…Observe a extensão do remédio do evangelho: “Reconciliando consigo o mundo.” Não pode haver dúvida de que nem todo o mundo será salvo: “Estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz à vida, e poucos são os que a encontram.” (Mateus 7:14) As terríveis transações do dia do julgamento estão resumidas nestas solenes palavras: “Estes irão para o castigo eterno, mas os justos para a vida eterna” (Mateus 25:46). Uma surpreendente porção da raça humana partirá muda, com a consciência aterrorizada, auto-condenada, para um inferno tão eterno quanto o céu daqueles que são salvos. Oh auto-enganado universalista! Esta é uma palavra que descreve a eternidade do paraíso e a eternidade do inferno. Não pode haver dúvida de que Deus escolheu um povo particular deste mundo: “Bem-aventurado aquele a quem tu escolhes, e fazes chegar a ti” (Salmo 65:4). Por seis vezes, no décimo sétimo capítulo de João, Jesus os chama ‘os homens os quais me deste,’ e Ele diz, ‘Eu oro por eles, Eu não oro pelo mundo.’…
___________________________________________________________________
Robert Murray M’Cheyne – God in Christ Reconciling the World, (Deus, em Cristo, Reconciliando o Mundo)
Fonte – Em defesa da graça
Tradução – Nelson Ávila
Outras obras AQUI.