A expiação de Cristo

[Por: João Calvino]

“…Para um sacerdote, cuja função era apaziguar a ira de Deus, socorrer os desventurados, restaurar os caídos, libertar os oprimidos, seu primordial e extremo requisito era demonstrar misericórdia e criar em nós tal senso de comunhão. Pois é muito raro que aqueles que sempre vivem afortunadamente simpatizem com os sofrimentos alheios (…)

O Filho de Deus não tinha necessidade de passar por alguma experiência a fim de conhecer pessoalmente a emoção da misericórdia. Entretanto, ele jamais nos teria persuadido de sua bondade e prontidão em socorrer-nos não fosse ele provado pelos nossos próprios infortúnios.

Fiel significa verdadeiro e justo. É o oposto de um impostor ou alguém que não cumpre o seu dever. A experiência de nosso infortúnio faz de Cristo Alguém tão pleno de compaixão, que o move a implorar o auxílio divino em nosso favor. Que mais podemos desejar? Para fazer expiação por nossos pecados ele se vestiu de nossa natureza, para que pudéssemos ter em nossa própria carne o preço de nossa reconciliação. Em uma palavra, para que pudesse nos levar consigo, para dentro dos Santos dos Santos de Deus em virtude de nossa comum natureza.”…
___________________________________________________________________
João Calvino – Comentários em Hebreus – Editora Fiel – p.74-76
Leia gratuitamente na Biblioteca João Calvino