Pensamentos e Sentimentos por Deus

[Por: John Owen]

“…[Diz Owen]: ‘Como são poucos os santos que estão experimentalmente familiarizados com este privilégio de manter comunhão imediata com o Pai em amor! Com que pensamentos ansiosos e duvidosos olham para ele! Que temores, que questionamentos há acerca de sua boa vontade e bondade! Na melhor das hipóteses, muitos acham que não há doçura alguma nele para nós, senão a que foi adquirida pelo alto preço do sangue de Jesus. É verdade, esse é o único meio de comunicá-la [a nós]; mas a livre fonte e manancial de tudo é o seio do Pai.'”

“Há cristãos que não estão profundamente convencidos do amor que o Pai celeste tem por eles. Podem entender o amor de Cristo, mas parece haver uma lacuna cognitiva ou uma desarmonia entre a confiança nEle e a confiança no Pai. É quase como se temessem que, por trás de Cristo, o Pai fosse, na verdade, distante e sombrio, até mesmo sinistro. [Diz Owen]: ‘Muitos pensamentos obscuros e perturbadores são capazes de surgir por esse motivo. Poucos são capazes de carregar seus corações e mentes a esta altitude, pela fé, ao ponto de descansar suas almas no amor do Pai; eles vivem abaixo, na região penosa de esperanças e temores, tempestades e nuvens. Aqui, tudo é sereno e quieto. Mas, como alcançar aquele pico, não sabem.”…
___________________________________________________________________
John Owen – Citado por Sinclair Fergunson: The Trinitarian Devotion of John Owen. p. 51.
Fonte (Facebook): Tiago cunha