Envergonhado das Tendas de Sem? – Objeção ao cântico dos Salmos – 2

[Por: Johannes Geerhardus Vos]

“…2. Rejeição dos Salmos “Imprecatórios”.

Dos 150 Salmos no Saltério, uns seis são comumente chamados de Salmos “imprecatórios” – o 55, 59, 69, 79, 109 e 137. Muitos outros contêm elementos “imprecatórios”, a saber, orações divinamente inspiradas para a destruição de certos homens ímpios, inimigos de Deus.

O Saltério é constantemente censurado por causa dos Salmos “imprecatórios”. É dito que estes Salmos aspira um espírito selvagem, que eles são alienados do “espírito de Jesus”, que eles não são compatíveis com a devoção cristã, e assim por diante.

Estas objeções brotam parcialmente de um mal-entendimento dos próprios Salmos. Os opositores consideram-nos como meras composições humanas. Eles vêem neles simplesmente a ira privada de Davi contra seus inimigos pessoais. Mas este não é o caráter destes Salmos. Eles foram divinamente inspirados e foram direcionados contra inimigos implacáveis de Deus e do reino de Deus. Eles são até citados no Novo Testamento (Salmos 69:25 e 109:8, citado em Atos 1:20). Nem são os Salmos “imprecatórios” realmente contrários ao “espírito de Jesus” ou o “espírito” do Novo Testamento. Tudo que é encontrado neles pode ser compatibilizado com as declarações do Novo Testamento, e nada é mais terrível do que as palavras de Jesus Cristo contra aqueles permanentemente identificados com o reino de Satanás.

As objeções também são levantadas parcialmente a partir de um idealismo falso na religião, que considera o Cristianismo como meramente um assunto de ideais. O Cristianismo não é meramente um assunto de ideais; ele nem mesmo é meramente salvação; Cristianismo é redenção divina de um reino objetivo do mal – da terra do Egito, da casa da escravidão, do reino de Satanás.

O Cristianismo envolve o julgamento divino sobre o pecado e os pecadores, tão verdadeiramente como envolve redenção divina para o povo de Deus. A falsa noção de que Deus não é nada senão amor é responsável por muita da oposição a estes Salmos. O presente escritor lembra-se de ouvir uma jovem mulher, uma membro de uma igreja que canta salmos, disse do Salmo 137: “Eu simplesmente ODEIO esse Salmo!” A explicação mais caridosa desta atitude para com a Santa Palavra de Deus é que esta jovem mulher realmente não entendeu nem o Salmo 137, nem o real caráter da religião Bíblica como uma redenção divina de um reino objetivo do mal. Ela, sem dúvida, tinha sido alimentada por um falso idealismo religioso, que pensava de Deus como apenas amor, e deixa Sua justiça inteiramente fora de cena.

Tal visão é uma visão unilateral de Deus. “Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus” (Romanos 11:22) – não somente a bondade de Deus, mas também a severidade de Deus. Os Salmos dão uma descrição completa, não apenas de um lado. Eles retratam não somente o amor e a salvação de Deus, mas Sua justiça e retribuição derramada sobre os homens ímpios. O reino de Cristo não avança sem o reino de Satanás sendo destruído.”…
___________________________________________________________________
Johannes Geerhardus Vos – Ashamed of the Tents of Shem?: The Semitic Roots of Christian Worship
Fonte – Monergismo
Tradução – Felipe Sabino