Diferenças entre o verdadeiro e o falso cristão

[Por: William Guthrie]

“…Uma diferença importante é que a vida interior do verdadeiro crente é transformada e feita de novo. Isso nunca ocorre com alguém que simplesmente se parece com um cristão, porém não é. Cristianismo verdadeiro começa em nossos corações. Quero dizer com isso que a verdadeira mudança ocorre no centro de nossa vida. Há uma profunda mudança em nosso pensamento, quanto ao que queremos como ao que sentimos. É isso que Ezequiel queria dizer quando falou que Deus daria a Seu povo um coração de carne no lugar de coração de pedra (Ez 36:26). Queria dizer que Deus mudaria o modo como pensava e sentia, mudaria sua vontade de forma que desejasse o que Ele queria. O verdadeiro cristão é mudado desse modo. Em especial, o verdadeiro cristão sabe que Jesus Cristo é a única bênção satisfatória em todo o mundo, por quem compensa deixar tudo o mais para traz. O verdadeiro crente sabe que “o reino de Deus é semelhante a um tesouro escondido num campo que um homem achou e escondeu: e, pelo gozo dele, vai, vende tudo quanto tem, e compra aquele campo” (Mt 13:44). Se você tiver sido feito de novo pela graça de Deus, certamente você saberá que uma mudança profunda ocorreu em você, de maneira que ache somente em Jesus Cristo tudo o que é bom e compensador.

Isso leva à segunda diferença entre um verdadeiro cristão e alguém que simplesmente pareça como cristão, mas não é. Os que não são realmente cristãos podem mudar seu modo de vida e dizer que são pessoas novas, entretanto essas mudanças não procedem de uma mudança de coração ou do desejo de agradar a Deus. Em vez disso, sempre há algum outro objetivo em mente. Talvez queiram conseguir elogios dos outros por sua vida. Talvez espere escapar da ira de Deus contra seus pecados. Podem desejar sair de alguma confusão, ou se livrar de uma consciência dolorida. Seja o que for, o objetivo sempre será outro que não agradar a Deus. Somente aquele que nasceu de novo busca “primeiro o reino de Deus, e a sua justiça” (Mt 6:33). A coisa indispensável para ter uma vida cristã é que tenhamos em Cristo um verdadeiro amigo e companheiro. Mas é exatamente isso que aqueles que não são cristãos autênticos de fato nunca querem.
Eu disse há pouco que pessoas que não são crentes verdadeiros podem mostrar sinais de cristianismo muito parecidos com a obra do Espírito Santo de Deus. O Espírito Santo nos traz para o arrependimento, e muitos parecem entristecidos por seus pecados. O Espírito Santo nos ensina a verdade sobre Cristo. Do mesmo modo, o Espírito Santo nos leva as boas obras, e muitos querem fazer boas obras. A questão, entretanto, é como vemos esses sinais de cristianismo. Que valor damos as boas obras, ou aprendizado sobre Cristo, ou entristecimento pelo pecado? Acaso pensamos que essas coisas podem nos ganhar o perdão de Deus? Os que não são verdadeiramente cristãos pensam assim. Pensam que sua própria tristeza pelos pecados, ou o que aprenderam sobre Jesus, ou suas boas obras – talvez com alguma ajuda de Deus – ganharão a misericórdia de Deus para eles. Nenhum verdadeiro cristão pensa assim. Todo o crente sabe que somente Jesus Cristo pode conduzir-nos para Deus.”…
___________________________________________________________________
William Guthrie – As Raízes de Uma Fé Autêntica, p. 40-41
OUTRAS OBRAS