A evidência da bondade de Deus na Sua providência

[Por: Stephen Charnock]

“…Vamos observar algumas maneiras como a bondade de Deus fica bem evidenciada na providência.

1. Ela é evidente no cuidado que Deus com todas as Suas criaturas. Ele não cuida apenas das criaturas maiores ou mais nobres, mas também das inferiores. O Salmista proclama: cheia está a terra das tuas riquezas (Salmo 104:24). Nenhum canto e recanto fica excluído da bondade de Deus. Ele preserva homens e animais (Salmo 36:6). Vemos isso nas palavras de Paulo em Listra: E contudo, não se deixou a si mesmo sem testemunho, beneficiando-vos lá do céu, dando-vos chuvas e tempos frutíferos, enchendo de mantimento e de alegria os vossos corações (Atos 14:17). Ele protege Suas criaturas de milhares de perigos que nem sequer imaginamos. Ele cuida dos animais, provendo-lhes alimento e habitação. Todos esperam de ti, que lhes dês o seu sustento em tempo oportuno. Dando-lho tu, eles o recolhem; abres a tua mão, e se enchem de bens. Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras o fôlego, morrem, e voltam para o seu pó (Salmo 104:27-29). Ele instruiu Israel acerca do boi, para que os animais descansassem aos sábados e comessem enquanto trabalhavam (Êxodo 20:10; Deuteronômio 25:4). Se o boi caísse e ficasse preso em um poço, deveria ser acudido (Lucas 14:5). Deus até ameaçou encurtar a vida do povo, se eles tratassem com crueldade os passarinhos (Deuteronômio 22:6-7). Ele também cuida das coisas inanimadas, como as flores e a erva do campo (Mateus 6:28-29). O Soberano desce ao nível mais baixo para cuidar da Sua criação! Além disso, Ele também cuida daqueles que são menos nobres, pois deu ordens aos senhores para que não abusassem dos seus escravos (Êxodo 21:26-27). Ao pobre foi permitido colher nos campos após a colheita (Deuteronômio 24:19-22). O criminoso não deveria ser açoitado com mais do que quarenta chicotadas (Deuteronômio 25:3). Até mesmo o ímpio e ingrato, que não merece nada além de trevas e fogo, desfruta ainda das bênçãos do sol e da chuva (Mateus 5:45). Neste sentido, Deus é o salvador ou preservador de todos os homens (1 Timóteo 4:10).

2. A bondade de Deus na providência fica evidente na preservação da sociedade humana. Em Seu poder Ele é capaz de realizar isso, e em Sua bondade Ele deseja fazê-lo. Ele faz isso através da entrega da Lei moral, os Dez Mandamentos, que se aplica a cada pessoa e a toda forma de relacionamento. Ele ordenou o governo humano, sem o qual o mundo seria um covil de feras a devorar umas as outras. Ele restringe as paixões internas dos homens, as quais o governo humano sozinho não seria capaz de refrear. Ele equipa as pessoas com vários talentos e capacidades, para que sirvam a sociedade como um todo. Ele julga e castiga certos pecados, caso contrário, aniquilariam a sociedade. Não são poucos os governantes cruéis que tiveram um fim amargoso! Deus muitas vezes faz com que certos assassinos sejam pegos e levados a juízo. Em nossos dias parece que Deus é mais paciente com os crimes cometidos contra Ele mesmo do que com a humanidade. Às vezes parece que Deus leva certos homens a agir de forma contrária às suas paixões naturais, e também ajuda Seus inimigos em tempos de necessidade. Em certo sentido, Deus vai tão longe, que parece deixar de lado Seu próprio direito de governar, permitindo o exercício da autoridade humana por questão de ordem, ainda que Ele tenha todo direito de reivindicar Sua autoridade. Por exemplo: o pai ou o marido em Israel tinha o direito de anular qualquer voto feito a Deus por sua esposa ou filha (Números 30:3-8).”…
___________________________________________________________________
Stephen Charnock – The Existence and Attributes of God (Cap. XII – On the Godness of God)
Fonte – Palavra Prudente
Tradução – Eduardo Cadete
OUTRAS OBRAS