Quem Precisa de Avivamento?

[Por: Robert Murray M’Cheyne]

Não tornarás a vivificar-nos, para que o teu povo se alegre em ti?” (Salmo 85:6)

“…1. Os pastores precisam – Como todos os homens, eles também são endurecidos de coração e incrédulos (Mc. 6:14). A fé que possuem vem toda do alto. Eles devem receber de Deus tudo que eles dão. A fim de falar a verdade com poder; eles precisam se apoderar dela. É impossível falar com poder de uma mero conhecimento intelectual ou mesmo de experiências passadas. Se formos falar com vigor, deve advir de um sentimento atual da verdade em Jesus. Não podemos falar do misterioso maná a não ser que tenhamos seu gosto em nossa boca. Não podemos falar da água viva a não ser que ela brote em nós. Como João Batista, nós devemos ver Jesus e dizer: “Este é o Cordeiro de Deus“. Devemos falar com Cristo face a face, como Estevão fez: “Eis que vejo Jesus em pé à destra de Deus“. Devemos falar como fruto do sentimento de perdão e acesso a Deus existente em nós, ou nossas palavras serão frias e sem vida. Mas como podemos fazer isto se não formos vivificados do alto? Pastores são mais expostos a ser abatidos do que outros homens. Eles são líderes e satanás adora quando um líder falha. Ó! que necessidade de um revestimento da plenitude de Cristo!

Ore, amado, que seja assim “Não tornarás a vivificar-nos?

2. Os filhos de Deus – A vida divina é toda do alto. Eles não tem vida até que venham a Cristo. “Jesus, pois, lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do Filho do homem, e não beberdes o seu sangue, não tereis vida em vós mesmos.” (Jo 6:53). Agora esta vida é mantida pela união com Cristo e pelo suprimento obtido, a cada momento, da Sua plenitude. “Quem come a minha carne e bebe o meu sangue permanece em mim e eu nele.” (Jo 6:56).

Em alguns crentes esta vida é mantida por uma constante afluência do Espírito Santo. “Eu … a cada momento a regareiIs 27:3 – como o constante suprimento que o ramo recebe da videira. Estes são os mais alegres e mais justos cristãos. Outros tem enchentes do Espírito, carregando-os para mais e mais alto. Algumas vezes eles obtêm mais em um dia do que em meses anteriores. Num dia como este, a graça é como um rio; no outro, é como uma chuva de estação. Não obstante, em ambos os casos há necessidade de reavivamento. O coração natural é todo tendente a definhar. Como um jardim no verão, ele seca, a menos que seja aguado. A alma cresce débil. e sem vigor nas boas obras. Graça não é natural ao coração. O velho coração está sempre secando e definhando. Assim sendo, o filho de Deus precisa, continuamente, vigiar, como o servo de Elias, para a pequena nuvem sobre o mar. Você necessita estar continuamente perto da Fonte da água da vida, descansar na fonte da nossa salvação e beber dela. “Não tornaras a vivificar-nos?

3. Os que outrora foram despertados – Uma gota caiu do céu sobre seus corações. Eles estremeceram, choraram e oraram. Mas as chuvas passaram e o coração de pedra parou de estremecer. O olho novamente fechou de sono; os lábios esqueceram de orar. Ah, quão comum e triste é este caso! O Rei de Sião levantou Sua voz neste lugar e chorou. Alguns que estavam em suas covas ouviram Sua voz e começaram a viver. Mas isso passou e agora eles começaram a naufragar, outra vez, da graça para a alma sem vida. Ah! este e um estado terrível! Voltar a morte, amar a morte e fazer mal a sua alma O que pode salvar tal pessoa, a não ser outro chamado de Jesus? “Desperta, tu que dormes, e levanta-te dentre os mortos, e Cristo te iluminará.” (Ef 5:14). Para o seu próprio bem, mais do que tudo eu oro: “Não tornarás a vivificar-nos?”

4. As figueiras infrutíferas – Alguns de vocês foram plantados nesta vinha. Experimentaram sol e chuva. Você passou por todo este tempo de despertamento sem sofrer nenhuma mudança. Você ainda está morto, infrutífero, inconvertido e estéril. Ah! Não há esperança para você a não ser nesta oração.

Tempos ordinários não lhe moverão. Seu coração está mais endurecido do que de outros homens. Quanta. necessidade você tem de orar por uma profunda, pura e efetiva obra de Deus, e que você não seja ignorado. Muitos de vocês podem suportar o choque melhor agora, Muitos de vocês tem resistido a Deus e extinguido o Espírito. Ó, ore por tempos que removam montanhas. Ninguém a não ser o Todo-Poderoso Espírito, pode tocar seu coração de pedra. “Quem és tu, ó grande monte? Diante de Zorobabel serás uma campina.” (Zc 4:7) “Não tornarás a vivificar-nos?“…
___________________________________________________________________
Robert Murray M’Cheyne – The Cry for Revival
Tradução parcial – Monergismo
Outras obras AQUI.