Os erros sobre a Salmodia

[Por: John Flavel]

“…Então, quanto ao dever celestial e bíblico acerca do cântico (dos Salmos), o que mais comumente é alegado contra isto do que os abusos e maus efeitos dessa preciosa ordenança? Quantas vezes são o absurdo e o erro da tradução comum, a rudeza e frieza da métrica de alguns Salmos (…) como também a formalidade fria com que essa ordenança é realizada por muitos, que apenas agem como papagaios? Digo, quantas vezes essas coisas são sussurradas nos ouvidos das pessoas para alienar seus corações de tão doce e benéfico dever?

E com frequência vemos isto sendo instigado para a mesma finalidade. É algo grandemente insustentável e perigoso às pessoas carnais e não regeneradas se apropriarem do canto destes louvores (Salmos) e experiências que são peculiares aos santos, não entendendo ou considerando que é uma ordenança de Cristo para o ensino e admoestação, tanto quanto para o louvor: “ensinando-vos e admoestando-vos uns aos outros, com salmos, hinos…” (Colossenses 3:16). Da mesma forma, o antinomianismo tomou seu encorajamento (ou se originou) da demasiada pressão da lei sobre os pecadores convictos.

Se, Satanás pode prevalecer primeiro com homens ímpios para corromper e abusar ordenanças de Deus por misturas supersticiosas e adições, e, depois, com bons homens para fazê-los renunciar e enfraquecê-los por causa desses abusos, logo, ele obtém plenamente o seu desígnio de infringir em Cristo uma ferida dupla de uma só vez; uma por mãos de seus inimigos declarados, e outra, pelas mãos de seus amigos, algo que não é menos grave do que o primeiro. Primeiramente, os ímpios corrompem as ordenanças de Cristo, e, em seguida, os homens bons as nauseiam…”
____________________________________________________________
John Flavel – “The Works of John Flavel. Vol. 3. p. 476-477.
Tradução – Joelson Galvão