O pecado da associação com ímpios

[Por: George Gillespie]

“…Se comunhão familiar, mesmo com os ímpios do mesmo reino é ilícita, então, uma associação militar com eles se torna algo ilícito, também; pois isso não pode ser feito sem que haja consulta, frequente conversações em conjunto etc. Seria um profano abuso e zombaria da Escritura dizer, que “estamos proibidos de conversar familiarmente com os ímpios de outros reinos, mas não com os ímpios do mesmo reino“, ou “somos proibidos de casar com os ímpios de outro reino, mas não com os ímpios do mesmo reino“, pois, o que seria isso, se não por um lado abrir uma porta larga, enquanto (de forma hipócrita) por um outro lado, estreitar uma outra porta? Não eram essas associações militares, condenadas sobre base justamente disto? Visto que os associados eram ímpios que odeiam o Senhor e Deus não estava com eles, então, agora ‘quatenus ad omne‘, a razão igualmente e continuamente nos prende contra associações com qualquer dos quais pode ser verdadeiramente dito, que são ímpios, inimigos do Senhor, e que Deus não está com eles (2 Cron. 19.2; 25.7,8).”…
___________________________________________________________________
George Gillespie – Another Most Useful Case of Conscience Discussed and Resolved, Concerning Associations and Confederacies with Idolaters, Infidels, Heretics, or Any Other Known Enemies of Truth and Godliness
Tradução: Lucas Macedo