Cântico dos Salmos – Uma Prática da Igreja

[Por: João Calvino]

“…A outra parte concerne os salmos, que desejamos canta-los na igreja após o exemplo dado pela antiga igreja, e de acordo com o testemunho de S. Paulo, que disse que era uma boa coisa cantar em assembleia de boca e coração. Nós não podemos mentalizar o aperfeiçoamento e a edificação que virão através disto após termos tentado. Certamente, em nossa prática presente, as orações dos fiéis são tão frias que refletem descrédito e confusão. Os salmos moveriam os nossos corações a Deus, e nos agitariam em fervor de invocá-Lo e exaltá-Lo por meio de nossas adorações à glória de Seu Nome. Por esses meios, mais adiante, os homens iriam descobrir que benefício e que consolação o papa e seus partidários privavam a igreja, no que eles se apropriavam dos salmos, que eram de fato canções espirituais, e os murmuravam sem qualquer entendimento sobre eles.”…
___________________________________________________________________
João Calvino – John Calvin and the Psalmody of the Reformed Churches [Opera, vol.xa, 12]
Tradução – Gabriel Barbosa