As Finalidades do Jejum

[Por: João Calvino]

“…O jejum santo e legítimo possui trés finalidades: mortificar e submeter a carne a fiel de que esta não se exalte; bem dispor-nos para a oração e santas meditações; humilhar-nos diante de Deus ao confessarmos nossos pecados. A primeira finalidade teto sempre é possível se observar no jejum público, porquanto as pessoas não têm a mesma condição de saúde; entende-se assim que tal escopo se perfaz principal-mente no jejum privado. A segunda finalidade convém ao jejum público e ao privado, uma vez que tanto a Igreja como cada fiel em particular têm necessidade de preparar a oração mediante o jejum. O mesmo se diga da terceira finalidade; de fato, por vezes Deus decide afligir uma nação com guerras, pestes e outras calamidades: diante desse castigo geral, é justo que o povo todo se reconheça réu e confesse seu pecado. Mas se a mão do Senhor fere especialmente a uma pessoa, esta deve reconhecer sua culpa em particular ou com sua família. É certo que este reconhecimento diz respeito principalmente ao afeto do coração, soas quando o coração sente-se tocado, dificilmente pode conter-se sem dar alguma mostra exterior de seus sentimentos, e sobretudo quando isso serve de edificação para os outros, a fim de que todos juntos, confessando abertamente o próprio pecado, rendam glória a Deus por sua justiça, e se exortem mutuamente dando exemplo uns aos outros.”…
___________________________________________________________________
João Calvino – A instituição da Religião Cristã – Tomo 2, Volume 2 – Editora Unesp, p.661