O Dever Pastoral de Manter a Pureza do Culto

[Por: João Calvino]

E acontecerá naquele dia, diz o Senhor dos Exércitos, que tirarei da terra os nomes dos ídolos, e deles não haverá mais memória; e também farei sair da terra os profetas e o espírito da impureza.” [Zacarias 13:2]

“…Deus não pode ser adorado corretamente sem que todas as corrupções sejam tiradas [de diante dele], as quais são contrárias ao culto sincero e puro que lhe é devido. Ao mesmo tempo, porém, devemos entender que tal eficácia é atribuída à palavra de Deus, pois é o que repele e expulsa todas as abominações da falsidade e tudo o que é incompatível com a verdadeira religião. Como o erguer do sol põe as trevas em fuga e tudo se torna claramente visível, assim também quando Deus surge com o ensinamento da sua palavra, todos os enganos de Satanás são inevitavelmente dissipados. Por isso, aquele que deseja cumprir todos os deveres de um pastor bom e fiel, deve tomar a firme decisão de não apenas se abster de qualquer doutrina impura e só afirmar o que é verdadeiro, mas também de revelar toda corrupção nociva à religião; deve resgatar os homens dos enganos de Satanás; e, em síntese, deve combater abertamente toda superstição. A forma como Zacarias se expressa significa que as superstições deviam ser assim detestadas, , que o povo devia temer até a menção delas. Desse e modo podemos avaliar o quanto da doutrina é pura e aprovada por Deus, uma vez que ele nos faz sentir horror, como de algo monstruoso, sempre que o nome de um ídolo e mencionado. A igreja não poderá ser conservada pura se a precipitação dos perversores da sã doutrina não for refreada.”…
___________________________________________________________________
João Calvino Devocionais e Orações, Meditando com Profetas Menores