A Maneira Como Satanás Tenta

[Por: John Owen]

“…Nesse sentido, a tentação pode proceder tanto somente de Satanás como do mundo, ou de outros homens do mundo, ou de nós mesmos, ou juntamente de todos ou de alguns deles em diversas combinações:

A. Satanás tenta algumas vezes sozinho, sem tirar proveito do mundo, das coisas do mundo ou das pessoas, ou de nós mesmos. Então, ele desfere sua injeção de maldade e pensamentos blasfemos sobre Deus no coração dos santos; isso é a obra dele mesmo, sem ajuda do mundo ou de nosso próprio coração, pois a natureza não vai contribuir com algo assim em nada, nem nada que há no mundo, nem qualquer homem do mundo, pois ninguém pode conceber um Deus e conceber mal sobre ele. Nesse caso Satanás está sozinho no pecado e também estará no castigo. Esses dardos inflamados são preparados na fornalha da sua própria malícia, e serão lançados, juntamente com seu veneno e malignidade, no próprio coração dele para sempre.

B. Algumas vezes ele usa o mundo, e junta forças contra nós, sem nenhuma ajuda interior. Assim ele tentou nosso Salvador, ao mostrar a ele “todos os reinos do mundo e a glória deles” (Mt 4:8). E a variedade de ajuda que ele encontra no mundo, em pessoas e coisas, os inumeráveis instrumentos e armas que ele toma de todos os tipos e tempos — são inexpressíveis.

C. Algumas vezes, também, ele tem a nossa própria ajuda. Não acontece conosco como foi com Jesus quando Satanás foi até ele para tentá-lo. Ele declara: “e ele nada tem em mim” (Jo 14:30). É o inverso conosco; para atingir a maioria dos seus objetivos, ele com certeza tem um partidário dentro de nós (Tg 1:14-15). Dessa maneira ele tentou Judas: ele próprio agiu, ele colocou no coração de Judas a traição de Cristo (Lc 22:3): “Satanás entrou em Judas” para esse propósito. E ele faz o mundo agir, as coisas do mundo, provendo para ele “trinta moedas de prata” (v.5: “e combinaram em lhe dar dinheiro“), e os homens do mundo, os próprios sacerdotes e fariseus, e usa a ajuda da própria corrupção de Judas — ele era cobiçoso “porque era ladrão e, tendo a bolsa” (Jo 12:6).

Devo mostrar também como o mundo e nossas próprias corrupções agem sozinhos, e também juntamente com Satanás, um com o outro, nessa questão da tentação. Mas, a verdade é que os princípios, as maneiras e os meios para a tentação, os tipos, graus, eficácia e causas da mesma são, inexpressivamente, amplos e variados — as circunstâncias em que acontecem, a providência, a natureza, as condições, espiritual e natural, de cada caso em particular que surge são inumeráveis e impossíveis de serem resumidas, que tentar listá-las seria um empreendimento sem fim.”…
___________________________________________________________________
John Owen – Para Vencer o Pecado e a Tentação, São Paulo: Cultura Cristã, 2010. p. 162-163