Presbitério da Igreja Puritana Reformada no Brasil

IPRB1

Assunto: Excomunhão
Data: 28/06/18
Irmão: John Michael Putz

Por alguns anos John Putz deu às congregações da Igreja Puritana Reformada a alegria de ouvir seus estudos e pregações, por meio dos quais edificou muitos. Muitos dons foram comprovados, contudo esperávamos ainda a manifestação de um caráter cristão consolidado e maduro. Entretanto, fomos frustrados nesse sentido. E esse e o motivo pelo qual nosso testemunho público revela nossa grande decepção e profundo desalento.

O Presbitério da Igreja Puritana Reformada no Brasil confiou ao John o tesouro e a grande responsabilidade de expor a Palavra de Deus, pedindo em troca votos e o  cumprimento dos mesmos.

Contudo, os votos outrora professados por ele foram quebrados mediante a prática do adultério. E ele, que deveria orientar e guiar sua família como cabeça, além de ensinar o caminho da verdade, como mestre e licenciado aos demais irmãos que se colocavam sob sua autoridade, optou por usar dessa posição e benção de Deus para atender ao seu próprio pecado.

Logo, com tristeza promulgamos sua excomunhão, esperando em Deus que seja conduzido ao arrependimento, quando poderá ser reintegrado a comunhão e continuar seu processo disciplinar.

Essa excomunhão consiste em um prazo de dois anos, durante os quais ele deve pleitear, constantemente, o retorno, com muitas provas de arrependimento, segundo os termos do Livro de Disciplina da Igreja Puritana Reformada no Brasil. Neste tempo, ele não deve permanecer dentro do salão de reuniões privados, mas, assistir os cultos da porta para fora, se quiser.

Até então, avisamos a todos que contatarem-no que este irmão está sob a escravidão de muitos pecados e tem causado danos à muitas almas. Na opinião deste Presbitério e Congregação, ele deve permanecer afastado dos direitos da Comunhão Cristã daqueles que prezam pela Confessionalidade Histórica, o que, nos limites de nossa autoridade executamos.
____________________________________________________