Cerimônias Frívolas

[Por: João Calvino]

“…Das cerimônias

Passo agora às cerimônias, as quais, enquanto deveriam ser sérias confirmações do culto divino, são, na verdade, mera zombaria de Deus. Um novo judaísmo, como um substitutivo daquilo que Deus havia distintamente anulado, uma vez mais tem sido cultivado por meio de numerosas e pueris extravagâncias, coletadas de diferentes regiões; e a estas se têm misturado certos ritos ímpios, em parte emprestados dos pagãos e mais adaptados a alguma exibição teatral do que à dignidade de nossa religião. O primeiro mal aqui é que um imenso número de cerimônias, as quais Deus, de uma vez por todas, anulou por sua autoridade, foram novamente reativadas. O próximo mal é que, enquanto as cerimônias deveriam ser vivos exercícios da piedade, os homens se ocuparam futilmente com muitas delas, as quais tanto são frívolas como inúteis. Mas, de todos os males, o mais letal é que, depois que os homens zombaram de Deus com cerimônias de um tipo ou de outro, creem que assim cumpriram seu dever tão admiravelmente como se tais cerimônias contivessem a essência da piedade e do culto divino.”…
___________________________________________________________________
João Calvino – A Necessidade de Reformar a Igreja (As obras de Calvino). Recife, 2017: Editora Clire, p.163.