Castigos aos Profanadores do Culto

[Por: Cipriano de Cartago]

“… Coré, Datã e Abiram, que tentaram usurpar para si a licença de sacrificar, [Cf. Nm 16:8-11] contrariando Moisés e o sacerdote Aarão, sofreram logo o castigo de sua empresa. A terra, quebradas as junturas, abriu-se em um profundo abismo e a fenda do solo que se rachava absorveu-os vivos. A cólera da vingança divina não castigou somente os responsáveis; todos os outros duzentos e cinquenta participantes e cúmplices da revolta, que se associaram a eles para cometer aquela temeridade, todos foram consumidos pelo fogo que saiu do Senhor, cuja vingança não se fez esperar [Cf. Nm 16:27-35]. Eis uma admoestação e uma prova de que é diretamente contra Deus tudo aquilo que os maus experimentam fazer por vontade humana para desacreditar as disposições divinas.

Do mesmo modo o rei Osias, ao levar o turíbulo atribuindo a si com violência a oferta do Sacrifício, e não querendo obedecer e ceder ao sacerdote Azarias, que lhe resistia, foi confundido pela indignação divina e manchado na face com os matizes da lepra [Cf. 2 Cr 26:16-20]. Sua ofensa ao Senhor foi gravada na parte do corpo em que são assinalados os que se tornam dignos do Senhor.

Também os filhos de Aarão que impuseram no altar um fogo estranho, contra os preceitos do Senhor, foram imediatamente exterminados, na presença do Senhor[Cf. Lv 10:1-2; Nm 3:4] que se vingava.”…
___________________________________________________________________
Cipriano de Cartago – Obras Completas I (Coleção Patrística). Editora Paulus, p.89