O Cristão e a Sua Miséria

[Por: John Welsh]

“…A visão da sua miséria nunca lhe trará conforto, a não ser que, por meio dela, você saiba que não há mais condenação para você, porque você está em Cristo Jesus. Portanto, se Deus despertar a sua consciência e abrir diante de você a conta da Lei, deixando-o ler nela o seu próprio castigo, a menos que você tenha esse conforto (de que não há condenação), a visão da sua miséria irá levá-lo a uma dessas duas coisas: ou a desesperar-se, ou então a, ao encontrar-se sem esperança de recuperação, enveredar pelo caminho do pecado com muito mais ímpeto do que fazia anteriormente. Portanto, quando você for despertado para ver os seus pecados, coloque os seus olhos em Deus e no seu Mediador Jesus Cristo. Se você não puder ainda olhar adiante – e penetrar o véu para se chegar ao trono da graça – então olhe para trás, para o Getsêmane, e dali olhe para o Senhor suando sangue no jardim por sua causa, para que, quando você tiver uma visão real dos seus pecados (que estão prontos a trazer fogo consumidor sobre a sua cabeça) – reconhecendo que esses mesmos pecados pesaram sobre o Filho de Deus e fizeram a Sua alma triste até a própria morte – que então você seja compelido a dizer: ‘Eu sou um homem maldito! Mas ainda assim, bendito seja Deus, pois eu sirvo a Deus com minha mente; portanto, não há condenação para mim!‘. A visão dos seus pecados é muito necessária a você, e é por isso que Deus lhe deu dois olhos para contemplar esse assunto, para que você nunca tire um olho da sua miséria, a fim de que seu coração não se exalte; e para que você mantenha sempre o outro olho sobre a misericórdia de Deus; e assim seja grato por esta, mas lamente pela outra.”…
___________________________________________________________________
John Welsh Podemos Ter Conforto na Aflição? Ananindeua, PA: Knox Publicações, 2016. p. 12.
Fonte: Samuel Rutherford Lima