Se a Mulher Não se Cobre, Tosquie-se

[Por: João Crisóstomo]

Portanto, se a mulher não se cobre com véu, tosquie-se também. Mas, se para a mulher é coisa indecente tosquiar-se ou rapar-se, que ponha o véu.
O homem, pois, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem e glória de Deus, mas a mulher é a glória do homem.” [1 Coríntios 11:3]

“…6. Se a mulher não se cobre com véu, mande cortar os cabelos!

Mas se é vergonhoso para uma mulher ter os cabelos cortados ou raspados, cubra a cabeça!

No começo reclama que a mulher não tenha a cabeça descoberta; adiantando-se, contudo, sugere e com todo zelo e diligência que a tenha sempre coberta, dizendo: “é o mesmo que ter a cabeça raspada”. Não manda apenas que se vele e cubra a cabeça, mas, que se cubra de tal sorte que esteja bem composta. E tendo chegado ao absurdo, incute vergonha, atacando com vigor: “Se a mulher não se cobre com véu, mande cortar os cabelos!” Com efeito, se recusas usar o véu segundo a lei de Deus, rejeita igualmente o que a natureza te deu. E se alguém replicar: E seria vergonhoso para a mulher alcançar a glória do homem? Não dissemos: não alcança. Decai da própria honra. De fato, não permanecer nos próprios limites e no das leis promulgadas por Deus, transgredi-los, não é aumento, é diminuição, como quem ambiciona os bens alheios, e arrebata o que é do próximo, não enriquece, sofre detrimento e perde até o que já possuía. Foi o que aconteceu no paraíso. A mulher não obteve a nobreza do homem, e, ao invés, perdeu a decência própria da mulher; não só daí lhe adveio ignomínia, ainda, porém, o que se origina da pretensão. Paulo, portanto, depois de declarar o que é evidentemente ignóbil: “Mas se é vergonhoso para uma mulher ter os cabelos cortados ou raspados”, acrescentou o seu parecer: “Cubra a cabeça!” E não preceituou: Tenha os cabelos compridos, e sim: “Cubra a cabeça!” Das duas coisas estabeleceu uma só lei, e confirmou a ambas, pelo que foi promulgado e pelo que lhe é oposto, assegurando que o véu e a cabeleira se equivalem, e é o mesmo ter a cabeça raspada e ter a cabeça descoberta: “É o mesmo que ter a cabeça raspada”. Se alguém disser: De que maneira “é o mesmo”, uma vez que uma possui um véu natural, e a que raspou, não? Responderemos: Uma por seu arbítrio o tirou e tem a cabeça descoberta; ser provida de cabelos provém da natureza, não da própria vontade. Por conseguinte, aquela que raspou tem a cabeça descoberta, e a outra igualmente. Por isso Deus permitiu que naturalmente a mulher tivesse a cabeça coberta, a fim de que aprendesse da natureza a se cobrir. Em seguida declara o motivo, conforme faz frequentemente, visto que se dirige a pessoas livres. Qual o motivo?

7. Quanto ao homem, não deve cobrir a cabeça, porque é a imagem da glória de Deus;

Ainda outra causa. Não apenas, porque tem Cristo por Cabeça não deve cobrir a cabeça, mas também porque é o chefe da mulher. Pois, o príncipe deve ter um sinal do principado quando se aproxima do rei. Assim nenhum príncipe comparece perante aquele que tem o diadema sem o cinto e a veste de gala, assim também tu sem o sinal do principado, isto é, a cabeça descoberta, não ores a Deus, para não ofenderes a ti e àquele que te honra. Dir-se-ia o mesmo acerca da mulher, porque para ela também é ignomínia se não tiver o sinal da sujeição.”…
___________________________________________________________________
João CrisóstomoPatrística – Comentário às cartas de São Paulo – 2 (Vigésima Sexta Homilia). Editora Paulus, p.208-209