O que é Esforçar-se Pelo Reino de Deus – 2

[Por: Jonathan Edwards]

A Lei e os Profetas vigoraram até João; desde esse tempo, vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça por entrar nele” (Lucas 16:16)

“…I. Mostrarei que modo de buscar a salvação parece ser denotado por ‘esforçar-se pelo reino de Deus.’

(…) 3. Por esforçar-se pelo Reino de Deus tem-se em mente a grandeza de esforço. É dito em Eclesiastes 9:10 que ‘tudo quanto te vier à mão para fazer, faze-o conforme as tuas forças.’ E essa é a consequência natural e necessária das duas coisas anteriormente mencionadas. Onde há força de desejo e firmeza de resolução haverá esforços correspondentes. Pessoas assim comprometidas em seus corações ‘se esforçarão por entrar pela porta estreita’ e serão violentas pelos céus. Sua prática será conforme o conselho do sábio em Provérbios 2, no início: ‘Filho meu, se aceitares as minhas palavras e esconderes contigo os meus mandamentos, para fazeres atento à sabedoria o teu ouvido e para inclinares o coração ao entendimento, e, se clamares por inteligência, e por entendimento alçares a voz, se buscares a sabedoria como a prata e como a tesouros escondidos a procurares, então, entenderás o temor do SENHOR e acharás o conhecimento de Deus.’ Aqui, a sinceridade no desejo e a firmeza de resolução são significadas por inclinar o ouvido à sabedoria e aplicar o coração ao entendimento, e a grandeza de esforço é denotada por clamar por conhecimento e levantar a voz por entendimento, buscá-lo como a prata, e procurá-lo como por tesouros escondidos. Esses desejos e resoluções e esses esforços andam juntos.

4. Esforçar-se pelo Reino dos céus implica em compromisso e prontidão que se relacionem diretamente à questão de se obter o reino de Deus. As pessoas podem encontrar-se em grande exercício e aflição de mente com relação ao estado de suas almas. Seus pensamentos podem estar grandemente comprometidos e tomados por assuntos de natureza espiritual, e ainda assim não estarem se esforçando pelo reino dos céus nem em direção a ele. O exercício de suas mentes não está diretamente relacionado à obra de buscar a salvação, em uma diligente atenção aos meios que Deus apontou para fazê-lo, mas em alguma outra coisa que vai além de seus interesses. Pode ser sobre os decretos e propósitos secretos de Deus, escrutinizando-os, buscando por sinais pelos quais possam determinar, ou ao menos conjecturar, quais sejam eles antes que Deus os faça conhecidos por suas realizações. Elas afligem suas mentes com temores de que não sejam eleitas, ou de que tenham cometido o pecado imperdoável, ou de que seu dia tenha passado e que Deus as tenha entregado à dureza judicial e final e jamais pretenda lhes mostrar misericórdia, sendo-lhes, portanto, inútil buscar a salvação. Ou então, se confundem acerca da doutrina do pecado original, e outras doutrinas misteriosas da religião que estão acima de suas compreensões. Muitas pessoas que parecem estar em grande aflição acerca do estado eterno futuro se aprofundam em coisas semelhantes a essas que somente as deixam perplexas. Quando isso acontece, ainda que estejam muito preocupadas e comprometidas em suas mentes, não se pode dizer que estejam se esforçando pelo Reino de Deus, uma vez que seu exercício não está em seu dever, e sim naquilo que serve de obstáculo a ele. Se são violentas, apenas trabalham violentamente para confundir-se e colocar obstáculos em seus próprios caminhos. Elas não andam para frente. Ao invés de progredir, nada fazem senão perder tempo e, o que é pior, ao invés de lutar com os gigantes que estão no caminho para impedi-las de entrar em Canaã, gastam seus tempos e esforços brigando com as sombras que aparecem às margens da estrada.

Logo, não podemos julgar o grau de esperança do caminho em que alguém se encontra, ou da sua probabilidade de sucesso em buscar a salvação, apenas pela grandeza da preocupação e aflição em que se encontram. Muitos têm desnecessárias aflições, sem as quais passariam muito melhor. Assim ocorre com frequência a pessoas tomadas pela indisposição da melancolia, de onde o adversário das almas costuma ganhar muito terreno. Porém, há pessoas no caminho mais provável de se obter o reino dos céus, quando o intento de suas mentes, e o engajamento de seus espíritos, está direcionado ao seu trabalho apropriado na matéria, e a inclinação total de suas almas é atender os meios de Deus, e fazer o que ele ordena e orienta. O apóstolo diz em 1 Co 9:26: ‘Assim luto, não como desferindo golpes no ar.’ Nosso tempo é curto o suficiente. Há dificuldades reais e inimigos o suficiente para as pessoas encontrarem, e empregarem com eles todas as forças. Elas não precisam gastá-las lutando com fantasmas.“…
___________________________________________________________________
Jonathan Edwards – Sermão em Lucas 16:16
Fonte: Projeto Jonathan Edwards
Tradução: Tiago Cunha