O que é Esforçar-se Pelo Reino de Deus – 3

[Por: Jonathan Edwards]

A Lei e os Profetas vigoraram até João; desde esse tempo, vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça por entrar nele” (Lucas 16:16)

“…I. Mostrarei que modo de buscar a salvação parece ser denotado por ‘esforçar-se pelo reino de Deus.’

(…) 5. Por esforçar-se pelo reino de Deus é denotado um rompimento com a oposição e as dificuldades. Há na expressão um claro alerta de dificuldade. Se não houvesse oposição e o caminho fosse claro e aberto, não haveria necessidade alguma de se esforçar para prosseguir. Aqueles, portanto, que estão se esforçando pelo reino de Deus prosseguem com tal ousadia que rompem com as dificuldades que estão no seu caminho. Estão tão sedentos pela salvação que as coisas que desencorajam os outros e os detêm, fazendo-os retroceder, não lhes impedem, mas passam por elas. A resolução das pessoas pelo céu deve ser tal que, se houver meios de obtê-lo, elas o obterão. Sejam esses meios difíceis ou fáceis, favoráveis ou não, se forem requisitos para a salvação, elas se ocuparão deles. Quando algo estiver presente a ser feito, a pergunta não deve ser: ‘É difícil ou fácil? É conforme minha inclinação e interesse carnal ou contrário a eles?’; mas sim: ‘É um meio requerido para obter um interesse em Jesus Cristo e na salvação eterna?’ Assim o apóstolo em Fl 3:11, diz: ‘para, de algum modo, alcançar a ressurreição dentre os mortos.’ Ele nos diz, no contexto, por quais dificuldades passou, tendo sofrido a perda de todas as coisas; estava voluntariamente conformado até mesmo à morte de Cristo, ainda que isso fosse acompanhado com tormento e ignomínia extremos.

Aquele que está se esforçando pelo reino de Deus comumente encontra no caminho muitas coisas que são contrárias às suas inclinações naturais. Mas, não é impedido pela cruz que está diante de si, porém a toma e a carrega. Suponhamos que haja algo que seja seu dever fazer, que, porém, seja contrário a seu temperamento natural, e por algum motivo seja enfadonho para ele. Suponha algo que não possa fazer sem que haja prejuízo ao seu status, ou que perceba que parecerá exótico e estranho aos olhos dos outros, e que o exporá ao ridículo e à reprovação; ou algo que será ofensivo a um conhecido e atrairá a sua má vontade, ou algo que será muito oposto ao seu próprio apetite carnal – ele se esforçará para vencer essas dificuldades. Tudo o que descobrir ser um peso que o impeça nessa carreira lançará fora de si, ainda que seja o peso de ouro ou pérolas, sim, seja até mesmo a mão ou o pé direitos que o ofendem, ele os arrancará, e não hesitará em arrancar o olho direito com suas próprias mãos. Essas coisas são dificuldades insuperáveis para os que não se encontram completamente comprometidos na busca da salvação. São pedras de tropeço que jamais conseguem sobrepujar. Mas isso não ocorre com aquele que está se esforçando pelo reino de Deus. Aquelas coisas com as quais, antes que fossem completamente despertos de sua segurança [carnal], costumavam ter longos palavreados e disputas com sua própria consciência, empregando razão carnal para inventar argumentos e meios de desculpa – agora ele as rejeita. Põe termo a essas disputas e raciocínios infindáveis e empurra violentamente através de toda dificuldade. O que quer que esteja no caminho, o céu é o que ele deve obter e obterá, não que o possa fazer sem dificuldade, mas se for possível [o fará]. Ele se encontra com a tentação: o diabo está sempre sussurrando em seus ouvidos, pondo distrações diante dele, exagerando as dificuldades do trabalho que tem pela frente, dizendo-lhe que este é insuperável e que jamais o conquistará, e tenta tudo o que for possível para desencorajá-lo. Ainda assim ele se esforça. Deus deu e mantém tal avidez de espírito pelo céu que o diabo não interromperá seu curso. Ele não tem tempo livre para emprestar o ouvido ao que o diabo tem a dizer.“…
___________________________________________________________________
Jonathan Edwards – Sermão em Lucas 16:16
Fonte: Projeto Jonathan Edwards
Tradução: Tiago Cunha