Como confessar os Pecados a Deus?

[Por: Matthew Henry]

Confessei-te o meu pecado, e a minha maldade não encobri. Dizia eu: Confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a maldade do meu pecado.” [Salmo 32:5]

“…Aqui nós somos ensinados a confessar nossos pecados para que eles sejam perdoados, a declará-los a fim de que sejamos justificados. Davi seguiu por esse caminho: “Confessei-te o meu pecado e a minha iniquidade não mais ocultei”. Observe: aqueles que querem ter o conforto do perdão de seus pecados devem ser primeiro envergonhados por meio de uma confissão penitente deles. Devemos confessar estarmos em pecado e sermos específicos ao fazê-lo (Eu fiz assim e assim), confessar a culpa do pecado, agravá-la e colocar um fardo sobre nós por isso (Eu agi de forma muito perversa), confessar a justiça da punição que temos recebido por isso (O Senhor é justo em tudo que acontece conosco) e que nós merecemos um castigo muito pior (Eu não sou mais digno de ser chamado teu filho). Devemos confessar o pecado com um santo corar de vergonha, com um santo temor e tremor.

A respeito da prontidão de Deus em perdoar o pecado daqueles que verdadeiramente se arrependem: “Disse: confessarei (Eu sinceramente decidi, não mais hesitei, mas cheguei ao ponto de fazer uma confissão sincera de meus pecados), e imediatamente tu perdoaste a iniquidade do meu pecado e me deste o conforto do perdão em minha própria consciência; imediatamente eu encontrei descanso em minha alma”. Observe: Deus está mais pronto a perdoar o pecado mediante nosso arrependimento do que nós estamos prontos em nos arrepender a fim de obter o perdão. Foi com muita dificuldade que Davi chegou ao ponto de confessar seus pecados; ele foi atormentado até que assim o fizesse (v. 3-4). Ele resistiu por muito tempo e não quis se render até não poder aguentar mais. No entanto, quando ele ofereceu sua rendição, veja quão rápido e quão fácil foi para ele obter termos favoráveis: “Disse: confessarei ao Senhor as minhas transgressões; e tu perdoaste a iniquidade do meu pecado”. O pai do filho pródigo viu seu filho retornando quando ele ainda estava longe e correu para encontrá-lo com um beijo que selava seu perdão. Quão encorajador isso é para pobres penitentes! E que segurança isso nos dá que, se confessarmos os nossos pecados, encontraremos Deus não apenas fiel e justo, mas também gracioso e gentil para perdoar-nos os pecados.”…
___________________________________________________________________
Matthew Henry – Comentário sobre Salmo 32