Nota de Abjuração

[Por Rev. Ademir Moreira]

Assunto: Nota Pública de Abjuração
Data: 09/04/21

Tendo em vista a renovação dos votos a ser executada pela Igreja Puritana Reformada, o Rev. Ademir Moreira reitera sua já pública abjuração de atos e doutrinas por si sustentados no passado, herdados de prévias filiações denominacionais, conforme noticiada em 2014 e 2017.

Especialmente a abjuração dos perniciosos:

1. neocalvinismo e kuyperianismo, com todas as suas consequências;

2. derivado do item 1, o hábito e doutrina da livre associação voluntária com os infiéis, diretamente conectada ao socialismo neerlandês.

Reconheço que já ouvistes qual foi antigamente a minha conduta não-confessional, e que em prévia filiação denominacional, mesmo antes de ser autorizado pela devida ordenação, excedia na prática e proclamação destes caminhos a muitos da minha idade, sendo extremamente zeloso das tradições pseudo-reformadas recebidas das apóstatas gerações passadas.

Mas, quando aprouve a Deus, que desde o ventre de minha mãe me separou, e me chamou pela sua graça, revelar seu Filho em mim, para que, ordenado para tal, licitamente pregasse a Palavra e chamasse à Reforma os que tem andado em veredas estranhas, departi destas doutrinas para unir-me ao esforço de estruturação da Igreja Puritana Reformada no Rio de Janeiro. Passados três anos, o Presbitério estava erguido e a constituição formal da Igreja aprovada, de maneira que pude declarar meu público repúdio às práticas e crenças passadas diante das congregações dos santos.

Declaro hoje, portanto, renovado o afeto ao abraçar acaloradamente e com também renovado ímpeto os princípios do cameronianismo escocês sob a catolicidade da Fé Histórica e Bíblica, Confessional dos Símbolos de Westminster, guardando igual honra e respeito à vera herança continental que sustentara o cameronianismo na Nadere Reformatio, enquanto abraço com alegria a perda de todos os resquícios de quaisquer práticas e doutrinas não-confessionais, e as considero como esterco, para que possa conservar a Cristo e a excelência do conhecimento d’Ele em toda paz de consciência e piedade.